Notícias
Imagem Ilustrativa Notícias

02/08/2008 - Bolsa amarga queda de 3,15%

No primeiro dia do mês de agosto, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) amargou forte desvalorização, influenciada pela queda das siderúrgicas, Vale e Petrobras. Com o recuo de 3,15%, negociada aos 57.630 pontos, a bolsa paulista voltou ao 'bear market' (desvalorização de mais de 20% desde o último patamar máximo). O giro financeiro somou R$ 4,18 bilhões. Carlos Kochenborger, analista de mineração e siderurgia da Geração Futuro Corretora, explica que o movimento vendedor visto no setor siderúrgico e de mineração foi reflexo do índice de gerentes de compra (PMI) da China, sobre a atividade no setor de manufaturas. O indicador passou de 52 pontos registrados em junho, para 48,4 pontos em julho, o que indica retração da atividade pela primeira vez desde 2005. "Falar em redução da demanda chinesa por commodities assusta qualquer investidor. Porém, o grande problema é que não há mais dados sobre esse indicador. Então, na dúvida, os investidores preferiram vender os papéis", afirma Kochenborger. Mesmo assim, até a última quinta-feira, algumas ações do setor acumularam ganhos no ano. Os papéis preferenciais da Gerdau, por exemplo, somaram alta de 33,4%. Já as ações preferenciais série A da Usiminas subiram 28,2%, enquanto as ações preferenciais da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) avançaram 19,5%. O movimento registrado pelas principais praças acionárias norte-americanas também não ajudou a amenizar a derrocada da bolsa paulista. Embora os dados do mercado de trabalho norte-americano tenham apontando o fechamento de menos vagas do que o previsto pelos analistas, os resultados da General Motors (GM) e a alta do petróleo no mercado internacional pesaram sobre os negócios e levaram os principais índices acionários mundiais a operar em queda desde o início dos negócios. O Departamento de Trabalho dos Estados Unidos anunciou o fechamento de 51 mil postos de trabalho em julho ante o mês anterior. Em contrapartida, o mesmo relatório apontou que a taxa de desemprego na região avançou para 5,7% em julho, enquanto que em junho, o índice havia registrado taxa de 5,5%. Em contrapartida, a GM reportou prejuízo líquido de US$ 15,4 bilhões no segundo trimestre de 2008, ante um lucro líquido de US$ 891 milhões em igual período de 2007. No âmbito corporativo, além dos papéis da Vale, Petrobras e siderúrgicas, as ações preferenciais da Net figuraram entre as maiores queda do Ibovespa - com desvalorização de 5,25% -, reagindo à notícia de que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) irá prorrogar a proibição pela cobrança do ponto adicional, por mais 60 dias. Dentre as 66 ações que compõem o Ibovespa, os principais destaques de queda foram Vale ON (-6,23%), Bradespar PN (-6,13%) e Vale PNA (-5,87%). Já entre as três maiores valorizações estiveram Cesp PNB (+2,06%), Telesp PN (+1,1%) e Brasil Telecom Participações ON (+ 1,07%). Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o Ibovespa com vencimento em agosto registrou queda 2,72%, a 58.170 pontos. Por Vanessa Correia - InvestNews.

Fonte: Gazeta Mercantil - 2/8/2008.

 

Mais Notícias