Notícias
Imagem Ilustrativa Notícias

21/05/2012 - Terceirização de TI movimenta US$ 246,6 bi em 2011 - Valor

Por Moacir Drska | Valor
SÃO PAULO – O mercado mundial de serviços de terceirização de tecnologia da informação (TI) movimentou um total de US$ 246,6 bilhões em 2011, informou a empresa de pesquisas Gartner. A receita contabilizada pelo setor no ano passado representa um crescimento de 7,8% frente aos US$ 228,7 bilhões registrados em 2010.

Segundo o Gartner, as empresas indianas do setor e os provedores que oferecem serviços de computação em nuvem – modelo pelo qual os sistemas são acessados via internet, sem que os programas tenham de ficar instalados no computador do usuário – apresentaram os índices mais elevados de crescimento no segmento em 2011.

Registrando um salto de 7,8% no período, a americana IBM manteve a liderança no setor, com receita de US$ 26,9 bilhões e participação de mercado de 10,9%. A Hewlett-Packard (HP) continuou na segunda posição, com vendas de US$ 15,1 bilhões, alta de 2% e fatia de 6,1% do setor.

A japonesa Fujitsu assumiu o terceiro lugar no ranking, ao alcançar uma receita de US$ 10,9 bilhões e uma participação de 4,5%. A expansão de 10,3% no ano fez com que a companhia superasse a CSC, que atingiu uma receita de US$ 10,3 bilhões e 4,2% de participação. Em quinto lugar, a Accenture registrou o maior crescimento do mercado, de 8,3%, apurando uma receita de US$ 6,5 bilhões e conquistando uma participação de 2,6%.

Um total de 43 provedores de serviços de TI alcançou ou superou o patamar de US$ 1 bilhão em receitas. Esse grupo de fornecedores respondeu por um crescimento de 9,5% no setor em 2011. Excluindo as companhias indianas e os provedores de serviços em nuvem, o grupo remanescente registrou um avanço de 6,5% no período.



© 2000 – 2012. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nosso Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.

Fonte: Site do Valor Econômico

 

Mais Notícias